Evangélicos apoiam judeus na Judeia e Samaria para cumprimento de `profecia bíblica´

Os judeus colonos que vivem nas colinas de Siló, na Cisjordânia, não são os únicos a trabalharem na colheita das vinhas. Evangélicos norte-americanos também fazem parte do trabalho.

Eles são voluntários da organização HaYovel, que envia cristãos para ajudar agricultores judeus que vivem nos assentamentos israelenses da Cisjordânia — que também é chamada pelo nome hebraico do Antigo Testamento, Judeia e Samaria.

A Cisjordânia tem uma importância especial para os evangélicos que veem o cumprimento de uma profecia bíblica no retorno dos judeus a Israel.

O fundador da HaYovel, Tommy Waller, cita a profecia de uma passagem do livro de Jeremias, que diz: “Eu a edificarei mais uma vez, ó virgem, Israel! Você será reconstruída! (…) De novo você plantará videiras nas colinas de Samaria” (Jeremias 31:4;5).

Mas essa terra também está no centro do conflito israelense-palestino. É nela que os palestinos buscam estabelecer um futuro Estado, juntamente com Jerusalém Oriental e a Faixa de Gaza, territórios capturados por Israel na guerra de 1967.

Para Waller, ajudar os colonos judeus a cultivar a terra significa participar do cumprimento da profecia. “Como cristão, como uma pessoa que acredita na Bíblia, foi incrível chegar a um lugar onde minha fé era palpável”, disse Waller.

“Compartilhamos uma semelhança entre o cristianismo e o judaísmo, que é a nossa Bíblia, nossa Escritura”, disse Waller em uma vinha nos arredores de Har Bracha, outro assentamento cujos agricultores são apoiados pelos voluntários.

Anexação da Judeia e Samaria

Maior parte da comunidade internacional considera os assentamentos israelenses ilegais, uma visão que Israel contesta.

A ala israelense favorável à solução militar, incluindo o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, afirma que a Cisjordânia é vital para a segurança de Israel. Entregá-la aos palestinos poderia colocar grandes áreas de Israel sob ameaça de ataques militantes. Já os palestinos dizem que não pode haver um Estado palestino viável sem ela.

Na véspera das eleições de Israel, Netanyahu renovou sua promessa de anexar partes da Cisjordânia se ele vencer. É uma posição apoiada pela maioria dos evangélicos.

“Os evangélicos acreditam que Judeia e Samaria são terras bíblicas, porque são”, disse Mike Evans, fundador do museu ‘Friends of Zion’, que fica em Jerusalém. “Achamos que desistir da Judeia e Samaria trará paz? De jeito nenhum”, disse Evans, que é membro da Iniciativa de Fé do presidente americano Donald Trump.

Diante da promessa de anexação, os palestinos temem que Netanyahu tenha o apoio de Trump.

“Da mesma maneira que anexaram Jerusalém, eles querem anexar a Cisjordânia e em breve ouviremos sobre Trump reconhecendo a anexação da Cisjordânia”, disse Izzat Qadous, professor aposentado da vila palestina Irak Burin, do outro lado de Har Bracha.

Cerca de 2,9 milhões de palestinos vivem na Cisjordânia, segundo dados oficiais palestinos e mais de 400.000 colonos israelenses vivem lá, segundo o escritório de estatísticas de Israel.

Relação entre cristãos e judeus

O governo Trump inclui evangélicos em algumas posições de destaque, como o vice-presidente Mike Pence e o secretário de Estado Mike Pompeo, que em uma entrevista à CBN News em março disseram que “o Senhor está trabalhando” nas políticas de Trump com Israel.

Segundo a Reuters, alguns israelenses temem que os cristãos tenham uma agenda missionária, buscando convertê-los. No entanto, Evans disse que sua missão de vida é defender o povo judeu.

“Essas pessoas estão buscando a Deus como nós estamos buscando a Deus”, disse Waller. “Obviamente, temos nossa própria crença messiânica, mas essas são coisas futuras, no Reino vindouro”.

Por outro lado, alguns colonos judeus acreditam que os evangélicos os ajudam a cumprir sua própria visão.

Nir Lavi, proprietário da vinícola Har Bracha, diz que a contribuição da Hayovel para seus negócios tem sido mais do que financeira. “Somos gratos”, disse Lavi. “É uma fase totalmente diferente de nossa própria jornada — a redenção do povo judeu em sua terra”.

Fonte: Guia-me / com informações Reuters / Foto: Reuters/Ronen Zvulun

Mulher testemunha que `tumor cerebral dissolveu´ após orações

Durante toda a sua vida adulta, Evelyn Cartwright sofreu dores de cabeça insuportáveis que ela acreditava ser causada pela pressão alta, até que em 2014, ela sentiu uma dor de cabeça como nenhuma outra.

“Era como um batimento cardíaco no topo da minha cabeça”, descreveu Evelyn em entrevista ao programa cristão Clube 700. “Aquela dor foi pior do que qualquer coisa que eu já havia sentido na minha vida”, contou.

Evelyn procurou atendimento e acabou sendo encaminhada para a sala de emergência e, depois de fazer uma ressonância magnética, recebeu a notícia de que tinha um tumor no cérebro (meningioma de 2.5 cm), que apesar de benigno, era inoperável.

Durante três meses, Evelyn passou por cinco rodadas de radiação.

Enquanto ela fazia o tratamento, o marido de Evelyn estava morrendo e precisava de seus cuidados.

Diante da situação, Evelyn chorou e questionou: “Deus, onde você está em tudo isso? O que realmente está acontecendo aqui?”

Evelyn, que é evangelista, decidiu pedir ajuda do grupo de oração de sua igreja para apoiá-la.

Após três meses de tratamentos de radiação, outra ressonância magnética mostrou que não ter havido sucesso no procedimento médico. Após seis meses, o tumor havia crescido e estava encobrindo o nervo óptico, o que poderia deixar Evelyn cega de um olho.

Onda de fé

Em vez enfraquecer em sua crença, Evelyn experimentou uma onda de fé. Ela conta que sentiu que Deus queria que ela parasse de pedir cura e começasse a louvá-Lo pela cura.

Evelyn solicitou que seu grupo de oração e membros da família fizessem o mesmo. Eles ficaram perplexos, mas decidiram acompanhar a decisão de Evelyn.

Nove meses após o diagnóstico inicial, o médico disse que o tumor estava sumindo.

Evelyn ficou tão feliz que começou a louvar a Deus.

Ao longo dos anos, o tumor se dissolveu e hoje Evelyn diz que se sente ótima.

Seu marido viveu o suficiente para saber que Evelyn estava bem, e se diz grata por isso.

A experiência de Evelyn aprofundou a fé de sua família em Deus.

“Agora, sinto que posso confiar nele para qualquer coisa na minha vida”, diz Evelyn. “Sinto que se ele pode curar um tumor cerebral, ele pode fazer qualquer coisa. Todas as coisas são possíveis se você puder acreditar”.

Fonte: Guia-me

Clipe “A Casa é Sua” ultrapassa 50 milhões de visualizações no Youtube

“Essa casa é sua casa, nós deixamos ela pra você: Jesus”. Este refrão já virou um fenômeno na internet. Cantada em várias igrejas evangélicas do país, o vídeo da música “A casa é sua” já ultrapassou a impressionante marca de 50 milhões de views no Youtube em apenas seis meses de lançamento

Composição assinada por Felipe Rodrigues, Helena Albernaz, Julliany Souza, Léo Brandão e Ricardinho, “A Casa É Sua”, a versão divulgada no clipe oficial é ministrada por Julliany Souza e Léo Brandão. O dueto ganhou vida, conquistando a muitos por ter uma letra intimista.

Além de “A Casa é Sua”, o grupo também tem se destacado com outras canções autorias. “Eu Te Vejo em Tudo”, “Era Eu” e “Vento Impetuoso” somam milhões de views e contribuem para que a banda seja considerada a maior revelação da música gospel nesse último ano.

O grupo Casa Worship é o ministério de adoração da Igreja CASA, de Goiânia (GO) liderada pelos pastores Davi e Giovanna Passamani. Tem como propósito trazer uma nova atmosfera através da adoração, gerando paixão e entrega a Jesus, conduzindo as pessoas a serem impactadas pelo amor e caráter de Deus.

Clique abaixo para conferir o clipe:

Fonte: Guiame

Jovens evangélicos são tão conservadores quanto os mais velhos, diz pesquisa

O cientista político da Universidade de Michigan, Jeremiah Castle, pesquisou se os jovens evangélicos estão se tornando mais liberais e a resposta é que eles são tão conservadores quanto os mais velhos, mas há algumas exceções.

Sobre a identificação ideológica e identificação por partidos políticos, os jovens evangélicos norte-americanos são tão conservadores quanto os mais velhos.

Mas quando se trata de casamento gay, imigração e bem-estar, os jovens de 18 a 29 anos se mostram mais liberais.

A pesquisa publicada na Temple University Press deste mês diz que 51% dos jovens evangélicos são contra o casamento gay, entre as pessoas com 75 anos ou mais o número de opositores sé de 73%.

Quando comparados com jovens de outras religiões, os evangélicos são 31% mais propensos a se oporem à união entre pessoas do mesmo sexo.

Outra diferença geracional é sobre a imigração, para um terço dos jovens evangélicos os imigrantes ilegais pioram o país, a mesma crença de 68% dos evangélicos com 65 anos ou mais.

Questionados sobre a ajuda que o governo dos Estados Unidos dá aos pobres, 54% dos jovens acreditam que essas ações sociais fazem mais mal do que bem, entre as pessoas de 30 a 64 anos, o número é de 62%.

“Em resumo, os resultados lançam sérias dúvidas sobre os relatos gerais de uma nova geração de jovens evangélicos liberais”, concluiu Castle, segundo informações do Christian Post.

O pesquisador que ouviu também a diferença entre os jovens e mais velhos sobre diplomacia ou uso da força militar. Nesse sentido, 39% dos jovens evangélicos assumiram a posição pró-militar, em comparação com 46% dos evangélicos com idades entre 30 e 49 anos e 53% dos evangélicos com 50 a 64 anos.

Em parte da pesquisa publicada, Castle entendeu que 15% dos jovens evangélicos são liberais e seguem líderes liberais como Tony Campolo, Shane Claiborne, Ron Sider e Jim Wallis.

Castle descobriu que, como esperado, jovens evangélicos liberais priorizam questões como pobreza e meio ambiente. Ele ficou surpreso ao descobrir, no entanto, que jovens evangélicos liberais ainda são um tanto conservadores em questões sociais, como aborto e casamento tradicional.

Fonte: Gospel Prime

Criança Esperança: Aline Barros prega Jesus na Globo e sofre críticas nas redes sociais

Aline Barros foi convidada para a edição especial do programa Altas Horas que promoveu a campanha Criança Esperança, na TV Globo, e usou a oportunidade para falar do amor de Deus. E isso foi o suficiente para que uma onda de críticas fosse feita a ela nas redes sociais por pessoas que não aprovaram sua postura.

No último sábado, 17 de agosto, Aline fez um discurso sobre fé e generosidade, citando Jesus Cristo como “melhor referência” para a vida. Além disso, a artista gospel interagiu com os demais convidados, muitos dos quais são conhecidos por sua rejeição à fé cristã, de acordo com informações do portal Terra. Tudo isso serviu de combustível para críticas imediatas nas redes sociais.

Mesmo com a intensidade de críticas à cantora, houve quem saíssem em sua defesa, ressaltando que ela foi convidada por ser uma artista que fala sobre a fé em Deus, e que era natural que isso ocorresse.

“Queria dizer para todos que estão aqui que não existe coisa mais linda do que um coração generoso. Coração generoso reflete o próprio Deus, que foi tão generoso, né? Em dar tudo o que ele tinha, seu único filho a nós. Quem conhece a Deus sabe ser generoso, sabe amar de forma generosa. Não pensa em si mesmo, mas pensa em abençoar pessoas. Eu acho que com esse propósito que eu estamos aqui […] Que a cada dia a gente não venha a pensar somente em nós, mas a pensar em quem está do nosso lado, a pensar na necessidade de quem está do nosso lado. Porque Jesus é assim, o próprio Deus é assim. Então, que essa essência permaneça dentro de nós”, disse Aline Barros no início de seu discurso no Criança Esperança.

Em seguida, abraçando o apresentador do Altas Horas, Serginho Groisman, a artista gospel encorajou outras pessoas a se abraçarem: “Dê um abraço generoso, sabe? Faça tudo com generosidade, com amor, com excelência. Dê o seu melhor. Saiba que Deus vai retribuir de uma forma tão linda tudo o que você tem feito por amor a Ele e as pessoas. Que você possa olhar para Jesus, porque ele é a sua melhor referência. A nossa referência tem que ser ele todo o tempo, todos os dias da nossa vida. Olhe para Jesus. O autor da vida continua vivo. E se você pode, cante comigo essa canção e não perca tempo, não perca a oportunidade”, seguiu Aline Barros

“Se você pode abrir o seu coração para Jesus abra agora mesmo. Você vai ver que a sua vida vai ser muito mais feliz, muito mais plena, muito mais linda. De todas as bênçãos que você tem buscado, você encontra n’Ele. Ele é a essência da vida. Ele é a própria vida. Ele é o caminho, a verdade e a vida. Deus abençoe você”, concluiu, finalizando sua participação no Criança Esperança.

Foto: TV Globo / Reprodução

Fonte: Gospel+

São Paulo cria o Dia de Oração pelas Autoridades da Nação

O governador João Doria autorizou a criação de uma lei que institui o Dia de Oração pelas Autoridades da Nação, que será toda terceira segunda-feira do mês, no calendário de datas comemorativas de São Paulo. A informação foi publicada na edição desta quarta-feira (31) do Diário Oficial.

Na proposta, os parlamentares que propuseram a lei mostram que se espelharam no que está escrito na Bíblia. “A Bíblia fala que toda autoridade é levantada por Deus, mesmo aquelas que nos fazem perecer”, diz o texto. “Fala também para orarmos pelas nossas autoridades, para que elas exerçam um governo justo e estratégico, para que promova o bem de todos e a nação prospere.”

O projeto foi proposto pelos então deputados Chico Sardelli e Reinaldo Alguz, ambos do PV, em 2018. Hoje, só Alguz continua sendo parlamentar na legislatura que começou em 2019.

Na justificativa, os deputados pedem apoio dos demais parlamentares da Assembleia paulista e também que a população pare de criticar os políticos.

“Pedimos que o povo passe a orar e não criticar as autoridades constituídas no estado de São Paulo e por toda a nação Brasileira”, escrevem. “Temos observado que a prática da oração e a intercessão pelas pessoas trazem resultados extraordinários, surpreendentes e até milagrosos, para os que creem.”

Bíblia e igrejas

Também nesta quarta, Doria promulgou uma lei que cria o Dia da Escola Bíblica no Estado, que será comemorado todo ano no terceiro domingo do mês de setembro. Na proposta de autoria do deputado Gil Lancaster (PSB), o objetivo é homenagear a Escola Bíblica, projeto “pedagógico, cultural e religioso” aplicado em igrejas protestantes de todo mundo.

Idealizada por John Wesley na Inglaterra, em 1737, a Escola Bíblica consiste em reuniões para educar e doutrinar biblicamente os fiéis da igreja. Para os evangélicos, é considerada um dos principais meios de instrução na vida do público cristão.

Para o parlamentar, ela é fundamental em São Paulo. “Faz parte da maioria das igrejas protestantes, sendo essencial na conservação da família e estudo dos preceitos bíblicos”, escreveu Lancaster no projeto.

Além dessas leis, Doria também autorizou a criação de outras duas para homenagear denominações evangélicas específicas.

Fonte: Guiame/ Com informações da Veja

Deputado baiano cria frente parlamentar em defesa do regime especial para aposentadorias dos professores

Com a aprovação em primeiro turno da reforma da previdência na última quinta-feira (11), o texto que cuida da aposentadoria em regime especial dos professores foi alterado. A partir de agora, o tempo para que a classe em atividade possa se aposentar ampliou para 55 anos (mulher) e 58 anos (homem). Sensível a causa, por considerar um retrocesso de uma conquista vigente na legislação brasileira desde 1964, o deputado federal Alex Santana (PDT-BA) criou a Frente Parlamentar em Defesa do Regime Especial para Aposentadorias dos Professores.

Para o deputado e presidente da frente, a valorização da classe de professores no Brasil é um ato de respeito com o futuro da nação. “Nenhum direito a menos aos professores. Educar é um trabalho árduo e de acompanhamento. Sabemos que muitas famílias jogam a responsabilidade de seus filhos para os professores, imagine que apenas um educador lida com turmas de 30 a 40 crianças com trabalho dobrado. São verdadeiros heróis! O futuro de excelência de um país passa pelas mãos dos professores”, declarou Alex.

“O governo tem pressionado estados e municípios, alegando que não passará recursos federais para os entes federados que não se enquadrarem aos mesmos critérios das legislações federais. Lutaremos para não ceder a pressões”, completou. O documento possui 219 assinaturas entre deputados e senadores, o destaque apresentado pretende reduzir a idade mínima de aposentadoria em 5 anos, relativamente à regra geral e não em 2 anos como está previsto no substitutivo da comissão especial. Dessa forma, os professores já em atividade poderiam se aposentar com 52 anos (mulheres) e 55 anos (homens).

fonte: bahiaeconomica.com.br

“Culpamos a Deus, enquanto nós somos os responsáveis por nossas colheitas”, diz Eli Soares

Deus se move em todas as esferas, se manifesta de infinitas formas”. Este é o conceito da mensagem que o cantor e compositor Eli Soares quer transmitir com o lançamento de seu novo álbum, “360 graus”.

Em entrevista exclusiva ao Guiame, Eli falou mais sobre o seu novo projeto e explicou que quer lembrar o público do poder ilimitado de Deus.

“O objetivo desse projeto foi mostrar a multiforme Graça de Deus. Ele não se limita a tempo, espaço, pessoas, raças, Deus se move em todas as esferas, se manifesta de infinitas formas”, disse.

“Errados somos nós ao pensar que podemos colocar Deus dentro de um conceito ou dentro de uma caixa ou dentro das quatro paredes da Igreja. Deus está em todas as coisas e se move em todas as coisas. A multiforme Graça de Deus fala disso e o 360 graus é por isso”, acrescentou.

Eli continuou destacando que apesar da grandeza de Deus o ser humano — sobretudo os cristãos, que via de regra deveriam estar bem conscientes desse poder ilimitado — têm tentado reduzir Deus a um conceito ou rótulo com um formato específico.

“Deus não cabe dentro da religiosidade, porque a religiosidade foi algo criado pelo homem. Deus está muito além disso. A Igreja pode dar mais um passo para influenciar a Sociedade, entendendo que Deus é ilimitado, que Ele está fora do dos nossos parâmetros e se move de infinitas maneiras. Nós não podemos determinar, nem caracterizar. Só precisamos estar disponíveis para a ação Dele”, reforçou.

“Ele se manifesta de diferentes formas, porque as pessoas são diferentes. Talvez, se Ele se manifestasse a você da mesma forma que se manifesta a mim, você não entenderia. Se Ele se manifestasse a mim da mesma forma que se manifesta a você, talvez eu não entenderia”, explicou.

“Deus Não é o Culpado”

Quando questionado sobre a mensagem do single “Deus não é o Culpado”, lançada por ele, recentemente, no começo deste mês de abril, Eli Soares caracterizou a música como uma verdadeira oração.

“Essa música é uma oração muito importante que precisa ser feita, é uma reflexão que precisa entrar nos nossos corações todos os dias. Nós temos a mania de culpar Deus, quando na verdade, nós somos os responsáveis pelas nossas colheitas. Na verdade, a nossa vida é fruto de escolhas feitas no passado. Nós vamos viver amanhã escolher que fazemos hoje. O grande erro é culpar a Deus por algo que é de nossa inteira responsabilidade”, destacou.

“Essa música é muito séria, fala sobre semente, fala que o Deus que permite a dor também permite a cura, que o Deus que se manifesta nas alturas também se manifesta nos vales e a gente precisa entender isso”, finalizou.

Clique no vídeo abaixo para conferir o clipe “Deus não é o Culpado”. A composição é de Anderson Freire:

Famoso jogador de rúgbi se vê obrigado a pedir desculpas por dizer que ama Jesus.

O jogador de rúgbi australiano Samu Kerevi, do Wallabies, se viu envolto em uma polêmica e pediu desculpas aos torcedores que ficaram ofendidos porque ele declarou “Eu te amo Jesus” durante a Páscoa.

A afirmação de Kerevi gerou um grande tumulto nas mídias sociais, e ele precisou esclarecer seus comentários na ocasião.

“‘Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna’. João 3:16. Obrigado Jesus por morrer na cruz por mim. Eu te amo Jesus #AO1”, escreveu Kerevi no Instagram há pouco mais de uma semana.

Enquanto muitos fãs expressaram apoio à declaração de fé de Kerevi, outros questionaram se ele apoiava as opiniões do companheiro de equipe Israel Folau, o principal jogador do Wallabies.

Folau foi acusado de violar um código de conduta de alto nível por compartilhar uma mensagem das Escrituras nas mídias sociais, dizendo que o Inferno aguarda “bêbados, homossexuais, adúlteros, mentirosos, fornicadores, ladrões, ateus, [e] idólatras” que não se arrependem.

“Eu sei que muitas crianças, gays e adultos em nosso esporte adorariam ouvir um líder de rúgbi como você diz que ama e os respeita por quem eles são – você está disposto a endossar essa mensagem?”, questionou um torcedor na publicação de Kerevi. “Espero que você não apoie os comentários de Israel”, acrescentou outro.

Após as críticas, Kerevi, escreveu no Instagram: “Peço desculpas a qualquer um que eu tenha ofendido em dar louvor ao nosso Deus em um fim de semana que nós tiramos para celebrar seu sacrifício por mim e você”.

Depois que o pedido de desculpas se tornou viral, Kerevi procurou esclarecer seus comentários em um post na terça-feira, 23 de abril. “Eu aprecio as mensagens gentis de todos. Mas para ser claro, não estou me desculpando pela minha fé em Jesus Cristo, meu Salvador. Deus sempre virá primeiro em minha vida e de muitos outros jogadores profissionais de rugby. Hoje, senti que as coisas foram tiradas do contexto em relação a certos artigos. Eu não me sinto obrigado a pedir desculpas às pessoas por causa da situação que está acontecendo com um irmão meu”, disse ele em um post no Instagram, acrescentando a passagem de João 16:33, que diz: “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”.

Irritado com a reação à expressão de fé de seus companheiros de equipe, o jogador Taniela Tupou disse que eles podem ter que demiti-lo e a muitos outros jogadores de rúgbi que compartilham os mesmos valores cristãos e conservadores, segundo informações do portal The Christian Post.

“A sério. Pode muito bem despedir-me e a todos os outros jogadores de rúgbi do Pacific Islands em todo o mundo porque temos as mesmas crenças cristãs. Nunca pedirei desculpas pela minha fé e pelo que acredito, a religião não tem nada a ver com o rúgbi de qualquer maneira”, escreveu Tupou em um post no Facebook.

A controvérsia em andamento decorre da declaração de Folau de que ele está pronto para desistir de ser o jogador de rúgbi mais bem pago da Austrália após de ter sido criticado por expressar suas opiniões cristãs nas redes sociais.

Enquanto ele está agora corre risco de perder sua carreira por causa de sua fé, ele continua comprometido com seus valores. “Primeiramente, eu vivo para Deus agora. O que quer que Ele queira que eu faça, acredito que os planos d’Ele para mim são melhores do que qualquer coisa que eu possa pensar. Se isso não for continuar jogando, assim seja. Ao dizer isso, obviamente eu adoro jogar rúgbi e se for por esse caminho eu definitivamente vou sentir falta, mas minha fé em Jesus Cristo é o que vem primeiro”, disse Folau, que pode ser demitido do clube.

Agora, de acordo com a Associated Press, Folau deve enfrentar  um painel de três pessoas na sede da Rugby Australia, em Sydney, no próximo sábado, 04 de maio. Se a audiência não der certo a seu favor, seu contrato será encerrado.

Damares diz que Igrejas devem cumprir papel social no combate à violência doméstica

A ministra Damares Alves, da pasta da Mulher, Família e Direitos Humanos, está demonstrando grande comprometimento na luta contra à violência doméstica, tendo como um dos grandes objetivos envolver  às instituições religiosas na responsabilidade de acolher e orientar às mulheres vítimas dessa barbárie.

Durante uma reunião na Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, Damares Alves apresentou o projeto “Salve Uma Mulher”, o qual, segundo ela, deverá contar com o apoio das lideranças religiosas, como os pastores.

“Muitas mulheres chegaram na igreja com o olho roxo e só receberam uma oração. Está na hora desses líderes religiosos também entenderem que nós vamos orar pelas mulheres, nós vamos pegá-la pela mão e levá-la até a delegacia”, disse Damares.

A ministra fez uma crítica ao comportamento passivo e até omisso de alguns líderes religiosos para com à violência doméstica, cobrando urgência dos mesmos.Uma pesquisa realizada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie a partir de relatos colhidos por organizações não governamentais (ONGs), apontou que 40% das mulheres que declaram ter sofrido algum tipo de violência doméstica são casadas com evangélicos.

Independentemente das críticas ao número alarmante, é inegável que há muita ignorância sobre a realidade da violência cometida contra às mulheres por homens ditos cristãos, e é justamente esse tipo de contexto que a ministra Damares Alves pretende lidar de forma mais enérgica.

“A igreja vai ter que fazer o seu papel social”, disse ela, segundo o JM Notícia, a ministra que em outra ocasião também pediu punições mais severas para os líderes religiosos culpados de cometerem abuso sexual contra menores, ou seja, a pedofilia.

“Vou fazer esse enfrentamento. Vamos enviar uma proposta em que a pena por abuso seja agravada se for cometida por um líder religioso”, disse ela na Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM).

Por fim, Damares Alvez parece tratar o assunto de forma coerente às Escrituras Sagradas, reconhecendo a existência dos crimes da violência doméstica e o abuso sexual, também, no meio cristão, mas sem deixar de acreditar na Bíblia como isenta desses pecados, diferente de outras lideranças femininas que, uma vez adotando a ideologia feminista como discurso, deixaram de acreditar na própria Palavra de Deus.

Open chat