‘Hoje sou 100% liberto em Cristo’, diz Hulk brasileiro que tinha obsessão pela vaidade

Conhecido como o ‘Hulk brasileiro’, Romário dos Santos Alves, de 31 anos, tinha o sonho de ter a aparência do famoso super-herói verde, de quem “adotou” o apelido. O interesse pelo personagem entrou em sua vida quando ele tinha 8 anos. “Eu o admirava”, lembra.

Em entrevista exclusiva ao Guiame, Romário diz que, para tornar-se musculoso como Hulk, passou 11 anos construindo o corpo que ele acreditava ser a coisa mais importante de sua vida. Para isso, fazia uso de produtos para animais e um tipo de óleo que infla os músculos.

Mesmo tendo crescido na igreja, e acompanhando a mãe evangélica aos cultos, na adolescência Romário conta que “se desviou”. Com 19 anos, decidiu ir embora de casa para morar em Caldas Novas, Goiás, onde vive até hoje.

Ele conta que vivendo sozinho, se entregou à vaidade que acabou se tornando uma obsessão em sua vida. “Em 2008 passei a fazer o uso de anabolizantes, a tomar produtos para cavalo, porque eu entrei em uma onda de vaidade”, relata Romário, que diz ter “encarnado o personagem” Hulk por se sentir uma pessoa vazia.

As crises existenciais cercaram o rapaz, que, desempregado, chegou a tentar o suicídio, teve crises de ansiedade, pânico e a enfrentou três depressões. Em 2019, ele começou a ir para a igrejas e a frequentar os cultos.

“Durante essas crises, decidi me entregar para Deus. Comecei a me envolver e buscar ao Senhor com muita força, para conhecer quem é Deus, quem é Jesus pois eu estava com muita sede e fome”, descreve.

Romário, que hoje tem 31 anos, diz que seus pensamentos mudaram radicalmente, pois até então “o meu negócio era só o corpo, era só a vaidade, e eu estava praticamente perto de perder a minha vida para o inimigo”.

Ele conta que o vazio que tinha dentro de si foi totalmente preenchido por Jesus e passou a ter experiências com Jesus. “De 2019 para cá, eu tenho experimentado muita coisa de Deus em minha vida. Eu passei a dar lugar ao Senhor. Estou firme na igreja e firme Deus”, diz Romário, que hoje faz parte de um grupo de liderança de homens.

Romário durante culto na igreja. (Foto: Reprodução / Arquivo pessoal)

“Na igreja eu levo meu testemunho sobre vaidade, sobre obsessão ao corpo. Também tenho um canal no YouTube e um perfil no Instagram onde falo no meu YouTube onde conto meu testemunho. Devagar vamos rompendo e fazendo a obra”, explica.

Conselho para os jovens

Romário diz que fazer academia não é pecado, desde que seja algo moderado e não um objetivo cego em busca de vaidade. Ele conta que continua se exercitando, mas agora apenas para uma causa de saúde, e aconselha: “Digo para os jovens que pensam em entrar nesse mundo da vaidade: vigia, vigia muito, porque a vaidade tem entrado também nas igrejas”.

Casado com Marisangêla e pai de Asaffe, de 9 anos, ele diz que “se a gente não vigiar, a vaidade vai nos tomar de Cristo, porque o inimigo não brinca em serviço”.

Romário e sua esposa Marisangêla. (Foto: Reprodução / Arquivo pessoal)

“A validade era um dos meus pontos fracos, e o diabo sabia trabalhar esse ponto em mim, só que graças a Deus eu fui liberto, fui resgatado dessa vaidade, dessa obsessão”, testemunha.

Romário acredita que o fato de ter tido esse tipo de experiência o credencia a ajudar outros jovens que passam pelo mesmo problema. “A mensagem que eu deixo para as pessoas é que aquilo onde você mais sofreu e passou mais dificuldade, é nesse ponto que o Senhor vai mais te usar. Eu creio que isso tem um propósito, se eu não tivesse passado por esse processo não teria um testemunho para contar para as pessoas”, diz.

“Hoje as pessoas me olham não me veem como um cara forte, um cara que tem um braço grosso, mas como um cara que está expressando algo diferente no rosto, é o poder do Evangelho, que transformador”, afirma.

Romário aconselha os jovens a tomarem muito cuidado com excesso de vaidade, que também tem entrado na igreja. Ele diz que a expressão “nada a ver” tem roubado os jovens ao serem aconselhados pelos pastores e pelos que têm experiência.

“Quando a gente fala algo, logo dizem ‘nada a ver’, mas esse ‘nada a ver’ está roubando muito crente das mãos de Deus e levando para a presença de Satanás. isso é forte, mas é a verdade, temos que vigiar!”, alerta.

Experiências com Deus

Romário conta que sua primeira experiência pessoal com Jesus foi em meados de 2019, enquanto ele estava em jejum durante um ano, orando de manhã, à tarde, à noite e subindo para os montes de oração.

“Um dia eu estava vindo da igreja por volta das 23 horas, passei por uma jovem que estava na avenida e de repente eu ouvi uma voz falar comigo: ‘Volta’. Eu parei a moto, e eu falei: Espírito Santo de Deus, se é o Senhor que fale comigo novamente. Então, outra vez ou uma voz muito forte dentro do meu interior dizendo: ‘Volta’. Então eu voltei e procurei a jovem, olhei do outro lado da pista, em uma baixada e um barranco, e a encontrei debaixo de uma árvore, no escuro. Eu me aproximei, chamei ela e conversei, ela me contou que ia se suicidar por conta de abusos sexuais que sofreu quando era criança, mas escondeu isso por muito tempo. E agora, conta de uma traição, ia se suicidar”, relembra.

Romário diz que naquele momento começou a orar pela vida dela. “Eu pedi pra Deus repreender o espírito de morte e de suicídio, peguei essa jovem levei para casa, minha esposa conversou com ela, liguei para os meus líderes da igreja, que são amigos meus, eles vieram conversar com ela e, graças a Deus, o diabo não levou essa vida”.

Outra experiência marcante que Romário teve foi em sua saúde, quando precisou ser internado para operar de cálculos renais. “Quando cheguei no hospital, consegui mudar o ambiente daquele lugar de sofrimento expressando quem estava dentro de mim, que é Jesus”, diz.

Ele conta que faltavam dois dias para fazer a cirurgia de retirada das pedras, e começou a falar muito com Deus para livrá-lo daquele procedimento e, um dia antes, as pedras, que eram grandes, saíram sozinhas. “Foi algo extraordinário, as pessoas que estavam no quarto comigo ficaram de boca aberta”, lembra.

Ministério

Membro da Igreja Vida na Palavra, Romário participa do grupo de homens, que está sob a liderança do pastor Kaysuan.

“O trabalho do grupo é atrair outros homens para participar dos nossos cultos específicos para homens. Nesse culto, somos ensinados sobre quais são os tipos de homem que Deus quer hoje, pode até ser casca grossa por fora, mas por dentro precisa ter um coração a quebrantado. Nós incentivamos os homens a se aproximar mais de Deus, a realmente ser o cabeça da casa, a ser um homem respeitoso, um homem que assume as suas responsabilidades dentro do lar. A gente faz visitas para outros homens que precisam de uma palavra, que precisam de oração”, explica.

Romário faz de sua barbearia, uma extensão do ministério. “O Senhor tem me levantado aqui dentro dessa barbearia, tenho evangelizado muitos clientes que vêm aqui. Eu recebo pessoas de todo tipo aqui na barbearia, os clientes gostam de conversar e sempre nessas conversas acaba, falando seus problemas pessoais. Aproveito o momento para evangelizar, falar do amor de Jesus, falar do Evangelho de Cristo”, diz.

O barbeiro diz que hoje o vazio que eu tinha está totalmente preenchido. “O que eu tentava preencher com o personagem Hulk, hoje deu lugar ao Espírito Santo, por Jesus e com a palavra de Deus.”

Romário agradecendo a Deus por uma conquista em sua barbearia. (Foto: Reprodução / Arquivo pessoal)

Romário diz que a ajuda de outros irmãos firmes na fé são fundamentais para resgatar pessoas perdidas, sem propósitos com Deus, como um dia ele esteve. Na vida de Romário, essa pessoa foi o Marcos Bessa, que o ajudou e ajuda até hoje, diz.

“Em 2019, quando eu passei por crises de ansiedade e pânico, eu tive um amigo muito importante em minha vida, alguém que considero como um pai. Tenho grande respeito por ele e pela sua família. Caminhamos juntos e ele nunca desistiu de mim, sempre estava orando por mim, me aconselhando”, conta.

“Sou fruto das orações do Marquinhos Bessa e da minha esposa. O que ele fez por mim não tem preço, ele foi um cara que, quando eu estava no fundo do poço, foi extremamente usado por Deus para me tirar de lá”, lembra.

“Hoje eu sou um cara liberto 100% liberto, hoje eu vivo para Deus, tudo o que eu faço é para ele. E graças a Deus eu estou aqui, firme e forte”, conclui.

Fonte: guiame

Rádio Vox Bahia –  Muritiba

Fundacao Ame De Comunicacao, Cultura, Educacao e Assistencia Social

Open chat